Literatura e psicanálise: Ernesto Sábato e a melancolia

Código : 275

De R$ 25,20 Por R$ 22,68 Adicionar ao Carrinho

Autor : Rafael Andrés Villari

Editora : Edufsc

"Eu não procuro, acho". Rafael Andrés Villari nos introduz no seu livro com estas duas palavras de Picasso; e justamente dessas duas palavras se trata: de procuras e de achados ... em primeira pessoa. Estas buscas e encontros se contrapõem e se relançam uns sobre os outros, resultando em uma investigação tão rigorosa que, além do fim da última página, o leitor, com certeza, herdará do autor as perguntas e métodos para seguir confrontando-os. As perguntas, entre outras, são: a "condição melancólica" é episódica ou permanente? Trata-se de uma situação estrutural que fica formalizada, ou não, além da psicopatologia freudiana? Suportam-se as concepções que atribuem à melancolia uma sabedoria especial? É possível à Psicanálise oferecer um tratamento àqueles que chegam a ela levados pelo discurso melancólico? A partir destes questionamentos o autor nos faz percorrer - de forma generosa, na medida em que põe a nosso alcance o que deve ter constituído um árduo trabalho de buscas e encontros e, além disto, de uma forma amena - as opiniões e hipóteses que a "condição melancólica", desde sempre, coloca aos homens que se deixaram interrogar por ela. Em determinado momento, em um ponto do livro e sem poder evitá-lo, o autor dá lugar ao psicanalista ao ler, em uma insistência, um encontro: vinte e três vezes a palavra melancolia insistindo em um texto. Um texto onde encontra que a produção alegórica é algo daquilo que o melancólico sabe, algo ao que um melancólico o aproxima, ao mesmo tempo que o distancia daqueles que, subsidiários da metáfora, não terão outro caminho que escutá-lo ou - como nos convida Rafael Andrés Villari ao longo do livro - a lê-lo. E é assim, desta forma, que deixa colocada a via para um tratamento possível. (Ricardo Diaz Romero)

ISBN:

853280232

Ano de Publicação:

2002

Edição:

1

Formato:

0cm.

Nº Páginas:

160p.

Peso:

240g.